sábado, 25 de outubro de 2014

Plantas, vegetarianos e utopias

Eu entendo e respeito a opção de quem é vegetariano por uma vida mais saudável e por um mundo com menos sofrimento.
Defendo  a 100% os  direitos dos animais e a preservação do planeta.
No  entanto, as plantas são  seres vivos tal  como os animais. Há inclusivamente estudos  e teorias  que dizem  que as  plantas reagem aos estados  de espírito do tratador e desenvolvem-se mais depressa ao som da música clássica. Coincidência ou  não, o certo é que a minha bisavó falava todos  os dias com as suas  plantas  e quando não o  fazia estas murchavam, mesmo sendo regadas e tratadas como sempre.
Acho um pouco também arrojado o facto do Homem se considerar o único  ser inteligente e racional  à  face  da Terra. Porquê?  Porque constrói arranha céus? Também as formigas constroem formigueiros, onde  habitam milhões. Porque comunicam?  Também os golfinhos o fazem através de ultra-sons. Aliás os animais conseguem comunicar sem o uso  da  palavra e conseguem muitas vezes conhecer o estado de  espírito dum humano,  através do  cheiro,  da temperatura, como é o caso dos cães, gatos, entre outros. Enquanto  muitas vezes o homem se perde no meio das suas próprias palavras e destruindo-se a si e ao seu habitat deliberadamente. O Homem necessita de afecto para um desenvolvimento saudável? As plantas desenvolvem-se melhor quando  falamos com  elas e quando ouvem determinados géneros de música…
Deste modo, considero que todo o ser vivo possuí a sua forma de “inteligência” e  de comunicação. Assim como acredito que muitos seres vivos, mesmo sendo minúsculos e com um modo  de vida aparentemente mais simples, sejam mais evoluídos do que  o Homem.
Sou completamente contra os maus-tratos e o massacre injustificado de animais, como as touradas, as caças desportivas, entre muitos outros, mas o facto de todos deixarem de comer carne não significa acabar com o sofrimento no mundo.
Os próprios animais matam outros animais ou plantas para se alimentarem, assim como há plantas que se alimentam de carne para sobreviverem. Tal como eles, nós também somos seres vivos e precisamos de nos alimentar para sobreviver. Se não comermos carne, teremos que sacrificar as plantas, que também são seres vivos, caso contrário não sobrevivemos.
Infelizmente, parece-me um pouco utópico ansiar-se por um Wonderful World” onde todos vivem felizes e sem sofrimento. Para tal, todos os seres vivos teriam de se alimentar apenas da luz solar.
A natureza é assim e nunca se deixará contrariar, por muito que o Homem tente mudar o seu curso, ela dará sempre a sua sentença final baseada na velha lei da sobrevivência. Por mais cruel  que nos pareça, a natureza tem a sua lógica  que permite  a sustentabilidade do planeta, só precisamos de repeitá-la, preservá-la e amá-la  tal como ela é,  em  vez de tentarmos dominá-la a nosso bel prazer. Assim sendo, acredito que uma alimentação moderada e sem excessos, juntamente com um modo de vida ecológico e sem desperdícios, possa ser um bom contributo para a saúde e para o equilíbrio e preservação do planeta.

Sem comentários:

Enviar um comentário